Thydêwá.

Indígenas de várias nações se aliam a não indígenas para construir a OSC THYDEWA, iniciando seus trabalhos em 2001 e formalizando-se em agosto de 2002. Sempre com o OBJETIVO de promover a CONSCIÊNCIA PLANETÁRIA, valendo-se do diálogo intercultural, da valorização da diversidade e das culturas e conhecimentos tradicionais; visando um desenvolvimento integral para todos em harmonia e paz.

Histórico:

Em 2001/2002/2003: “ÍNDIOS NA VISÃO DOS ÍNDIOS”. Patrocínio: Bompreço do Nordeste S/A e Programa Fazcultura. Apoio Institucional: UNESCO. Até 2003 a Coleção já possuía sete livros, 21.000 exemplares, através da realização de oficinas de Identidade e Expressão Criativa, com fotografia e jornalismo, qualificando 80 Agentes Culturais Indígenas, sendo esses historiadores, fotógrafos e artistas, retratando as Nações: Kariri-Xocó/AL, Pankararú/PE, Fulni-ô/PE, Tumbalalá/BA, Kiriri/BA, Tupinambá/BA e Truká/PE. Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade 2004, pelas ações de preservação do patrimônio cultural brasileiro, promovido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN – do Ministério da Cultura (MinC).

Em 2002/2003/2004: “ÍNDIOS NAS SALAS” com o projeto “A Escola Entra em Cena” da Secretaria da Educação e Cultura de Salvador (SMEC) que possibilitou que vários índios visitassem escolas públicas para dialogar com 5.000 alunos e partilhar suas culturas.

Em 2003: “ÍNDIO QUER RESPEITO”. Patrocínio: Ford Foundation, através da CERIS – Centro de Estudos Religiosos e Sociais. Apoio: UNESCO, FUNAI, ANAI e Universidade Estadual de Santa Cruz/BA. Campanha junto à Comunidade Tupinambá/BA (4.636 índios) em prol do resgate e valorização dos seus direitos. Qualificação de 20 índios para proferir palestras para 15.000 alunos da rede pública de Ilhéus/BA.

Em 2003/2004: “ÍNDIOS LENDO”. Patrocínio: CESE – Centro Ecumênico de Serviços. Incentivo à leitura e conhecimento de novas experiências através da troca de 1.500 livros da Coleção Índios na Visão dos Índios com diversas bibliografias para doação às escolas públicas.

Em 2003/2004/2005: “CANTANDO AS CULTURAS INDÍGENAS”. Patrocínio: BNDES, através do Programa de Apoio a Crianças e Jovens em Situação de Risco Social – Transformando com Arte. 3.500 crianças das comunidades: Pataxó HâHãHãe, Xucuru-Kariri, Kariri-Xocó, Pankararú, Tumbalalá, Tupinambá e Truká através dos cantos e danças sagrados, re-visitam suas histórias e re-descobrem um novo Brasil, falando de Cidadania, de Direitos Humanos, de Ecologia e de Diversidade Cultural.

Em 2004: “IRMÃOS NO MUNDO”. Patrocínio: Fundação Padre Anchieta e Ministério da Cultura. Vídeo documentário abordando o modo de vida, costumes e tradições das Nações Tupinambá/Ilhéus/Bahia e Tumbalalá/Curaçá/Bahia. Ganhador do 1º prêmio NACIONAL DOCTV pela Bahia.

Em 2004: “INDIOS ON-LINE”. Patrocínio: Bompreço do Nordeste S/A e Programa Fazcultura. Portal de diálogo intercultural. Qualificação direta de 14 índios em TICs, 28 índios multiplicados. www.indiosonline.org.br (jornais em anexo). Prêmio Telemar de Inclusão Digital 2004, 3º Lugar na categoria ONG das regiões Norte/Nordeste. Programa piloto de seis meses de inclusão digital entre sete aldeias indígenas e em dialogo intercultural com o mundo. Participaram as Nações: Kariri-Xocó/AL, Xucuru-Kariri/AL, Pankararú/PE, Tumbalalá/BA, Kiriri/BA, Tupinambá/BA e Pataxó-Hãhãhãe/BA.

Em 2004/2005: “ÍNDIO QUER PAZ”. Patrocínio: BrazilFoundation. Apoio Institucional: UNESCO, ANAI, CIMI, Associação Unidos do Morro, Movimento Negro de Pau Brasil e Prefeituras de Pau Brasil, Camacan e Itaju do Colônia. Campanha junto à Comunidade Pataxó-Hãhãhãe (3.132 índios) em prol da promoção da paz. Qualificação de 20 índios para proferir palestras para 15.000 alunos da região.

Em 2005/2006: “ÍNDIOS ON-LINE”. Patrocínio: Ministério da Cultura. Apoio: Ministério das Comunicações e Ministério de Trabalho. Programa de Cultura, Educação e Cidadania através das TICs para sete aldeias indígenas: Kariri-Xocó/AL, Xucuru-Kariri/AL, Pankararú/PE, Tumbalalá/BA, Kiriri/BA, Tupinambá/BA e Pataxó-Hãhãhãe/BA.

Em 2005: “RÁDIO COMUNITÁRIA PATAXÓ-HÃHÃHÃE”. Patrocínio: UNESCO. Reciclagem e qualificação de 20 locutores.

Em 2005: “ÍNDIOS NA FRANÇA”. Turnê de Intercâmbio Cultural realizada por cinco índios por sete cidades da França, entre 7 de setembro e 22 de outubro. Patrocínio: sete prefeituras francesas, CISA, MDH e RELACS. Contato com mais de 100.000 pessoas. Visita a OIT e ONU.

Em 2006: “ÍNDIO QUER PAZ”. RELACS, MDH e Conselho da Região de Limouge (França). Apoio Institucional: Prefeituras de Pau Brasil e de Camacan, Associação Unidos do Morro e Movimento Negro de Pau Brasil). Campanha junto à Comunidade Pataxó-Hãhãhãe (3.132 índios) em prol da promoção da paz. Qualificação de novos 15 índios para proferir palestras para 5.000 alunos da região.

Em 2007: “ÍNDIOS NA VISÃO DOS ÍNDIOS: PATAXÓ HÃHÃHÃE”. Patrocínio: Ministério da Educação e Banco do Nordeste do Brasil. Impressão de 2.000 exemplares e ações para mais de 20.000 pessoas.

Em 2006/2007: “ARCO DIGITAL”. Parceria: Instituto Oi Futuro. Comunidade Colaborativa de Aprendizagem para mais de 100 índios on-line. Diálogos em Cultura, Cidadania, Educação, Desenvolvimento Sustentável e Tics. www.indiosonline.org.br/blogs . Edição de 3.000 livros: CIBERCULTURAS INDÍGENAS.

Em 2007: “ÍNDIOS NA VISÃO DOS ÍNDIOS: PATAXÓ DO PRADO”. Patrocínio: Ministério da Educação. Impressão de 1.000 exemplares e ações educativas para 5.000 alunos.

Em 2007: “MAIS ÍNDIOS ON-LINE”. Patrocínio: Ministério da Cultura. Ingresso de quatro novas nações indígenas na REDE.

Em 2007: Prêmio Direitos Humanos na categoria Promoção da Igualdade Racial, outorgado pela Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República (SEDH).

Selo de Iniciativa Reconhecida Prêmio Cultura Viva para nosso programa ÍNDIOS ON-LINE.

Finalistas do Prêmio ODM – Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, do PNUD.

Em 2008: “KARIRI-XOCÓ CANTA TORÉ”. Patrocínio: Banco do Nordeste do Brasil. Apoio: Ministério da Cultura e Secretaria do Estado da Cultura do Governo de Alagoas. CD de música e documentário em DVD do ritual de cantos tradicionais Kariri-Xocó, com edição de 1.000 unidades e eventos públicos para mais de 15.000 pessoas dialogarem interculturalmente com os indígenas.

Em 2008: “ÍNDIOS NA VISÃO DOS ÍNDIOS: NÓS TUPINAMBÁ”. Patrocínio: Banco do Nordeste do Brasil. Apoio: Ministério da Cultura e Secretaria de Cultura da Prefeitura de Camaçari – BA. Impressão de 1000 livros e eventos públicos em Salvador, Camaçari, Itabuna, Ilhéus, Una e Buararema para mais de 20.000 pessoas dialogarem interculturalmente com os Tupinambá.

Em 2008: Prêmio Parcerias na categoria Parceria constituída pela relação de cooperação entre a THYDEWAS e o Instituto Oi Futuro, outorgado pela Aliança Interage e o Instituto Ação Empresarial pela Cidadania.

Em 2008: “ÍNDIOS NA VISÃO DOS ÍNDIOS DO NORDESTE”. Patrocínio: MDH e Conselho da Região de Limouge (França).  Livro traduzido para o francês que reúne trechos das cinco publicações anteriores, sendo lançado com três indígenas durante uma turnê de 40 dias por toda a França.

Prêmio AREDE (Momento Editorial) pelo programa ÍNDIOS ON-LINE.

Prêmio CAB “SOMOS PATRIMÔNIO” do Convênio Andrés Bello pela ação ÍNDIOS NA VISÃO DOS ÍNDIOS ON-LINE.

Semifinalistas do Prêmio Experiências de Inovação Social 2008 da Fundação W.K.Kellogg e CEPAL.

Prêmio Ludicidade do Ministério da Cultura pelo trabalho com a juventude.

Prêmio Alexandre Robatto –  XII Festival Nacional de vídeo em 5 minutos pela produção de “O SAL TUPINAMBÁ”.

Prêmio Top Social 2008 (ADVB/BA ABAP/BA e ACB) para ÍNDIOS ON-LINE.

Em 2009: “CELULARES INDÍGENAS”. Parceria: Instituto Oi Futuro para a formação em produção de curta metragens através de telefones celulares com 60 indígenas, integrando os celulares ao movimento social da REDE ÍNDIOS ON-LINE.

Prêmio Interações Estéticas – Residências Artísticas em Pontos de Cultura junto ao artista Sandro Egues por intermédio da FUNARTE.

Prêmio Mídia Livre 2009 (MinC) para a REDE ÍNDIOS ON LINE.

Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade (IPHAN – MinC) para a REDE ÍNDIOS OS LINE pela divulgação do patrimônio brasileiro.

Em 2009: “ÍNDIOS ON AMERICA”. Patrocínio: Ministério de Cultura. Projeto de Oficina de reciclagem de 12 indígenas dos Índios On Line e de integração com 60 indígenas das três Américas. Prêmio Arete (SCC/MinC)

Prêmio Estórias de Pontos de Cultura (SCC/MinC).

Prêmio Ponto de Valor (SCC/MinC e PNUD) pelas nossas práticas com foco na “formação e promoção de valores de vida”.

2009 a 2013: “ESPERANÇA DA TERRA”. Parceria: Ministério da Cultura. Pontão de Cultura Viva com foco na promoção da cultura da paz e a consciência planetária. Realiza Encontros de Diálogos Interculturais e Cruzamentos de Saberes.

Em 2010: “INDÍGENAS DIGITAIS”. Parceria: com a Cardim Soluções Integradas. Patrocínio: Oi via Fazcultura da Bahia. Apoio: do Instituto Oi Futuro e outros. Vídeo documentário que retrata como os indígenas de várias nações vêm se apropriando das TICs. Ações de divulgação e conscientização direta com de 5.000 pessoas.

Prêmio Pontos de Mídia Livre 2010 (SCC – MinC) em reconhecimento a “Índios na Visão dos Índios”.

Prêmio Cultura Digital 2010 – Esporos de Pesquisa e Experimentação – pela realização do projeto “TEKOA DIGITAL”.

Em 2011: “KARIRI-XOCÓ CANTA ROJÃO”, “TOANTES PANKARARU” e “ÍNDIOS NA VISÃO DOS ÍNDIOS: POTIGUARA”. Patrocínio: Banco do Nordeste do Brasil. Apoio: Ministério da Cultura, Secretaria de Estado da Cultura do Governo de Alagoas e FUNAI.

“ÍNDIOS NA VISÃO DOS ÍNDIOS: SOMOS PATRIMÔNIO”. Financiamento do: IPAC – Instituto de Patrimônio Artístico e Cultural do Governo do Estado da Bahia. Livro coletivo com 40 autores de 10 etnias.

Campanha “SOMOS DIVERSIDADE”. Ações Educativas para 20.000 pessoas através do diálogo intercultural entre indígenas e sociedade brasileira.

Lançamento do DVD “SOMOS PATRIMÔNIO”.

Prêmio BrazilFoundation 10 anos pela trajetória da instituição. Acompanhamento e recursos para fortalecimento institucional.

“RISADA: Rede Indígena Solidária de Arte e de Artesanato”. Patrocínio: Caixa Econômica Federal (em execução). Através de um portal (www.risada.org), 04 etnias valorizam suas culturas e fazem renda com a venda de artesanato indígena à distancia.

“História e Culturas indígenas”. Patrocínio: Embaixada dos Estados Unidos da América via acordo bilateral com Brasil através do Programa de Combate à Descriminação Étnico-Racial – “JAPER”. Grupo de estudo com 06 indígenas bolsistas que mantém um portal de interação (www.indioeduca.org) cumprindo diretrizes da lei 11.645/2008.

Em 2012: “OCA DIGITAL”. Patrocínio: Fundação Telefônica e Fundo de Cultura da Bahia. Laboratório de Experimentação em Arte e Tecnologia para indígenas (www.ocadigital.art.br).

Programa Pontos de Memória “ÍNDIOS NA VISÃO DOS ÍNDIOS: MEMÓRIA”. Patrocínio: Instituto Brasileiro de Museus – IBRAM. Produção e lançamento do livro coletivo e multiétnico.

Programa Jovens Multiplicadores de Cultura. Patrocínio: Secult/BA.

Prêmio Interações estéticas “Cartografia afetiva nas nuvens das raízes profundas”. Parceria: Bruno Tarin, FUNARTE (www.tupivivo.org).

Prêmio Pontos de Leitura pelo Projeto Occa Aberta – Fundo de Cultura da Bahia (FCBA). Permite acesso à informação e conhecimento para o povo Tupinambá.

Prêmio Economia Criativa do Ministério da Cultura.

Em 2013:  Participa do “Curso Educando para Transparência”, realizado pela ONG Parceiros Voluntários.

Lançamento da 2° edição da cartilha-livro “CANTANDO AS CULTURAS INDÍGENAS”.  Apoio: CAPEMA – MEC.

Prêmio Ponto de Memória do IBRAM que produz coletiva e multiétnicamente o livro: “MEMÓRIA DA MÃE TERRA”.

Prêmio Memórias Brasileiras do IBRAM que produz coletiva e multietnicamente o livro: MEMÓRIA DO MOVIMENTO INDÍGENA DO NORDESTE.

Em 2014, “PELAS MULHERES INDÍGENAS” formação para 16 mulheres indígenas, lideranças e multiplicadoras em 08 etnias do Nordeste via Secretaria de Políticas Públicas para Mulheres da Presidência da república – SPM/PR e com a produção coletiva de um livro feito pelas próprias mulheres, com o apoio da Secretaria de Políticas Públicas para Mulheres do Estado da Bahia – SPM/BA.

MENSAGENS DA TERRA; rede de 08 PONTOS DE CULTURA INDIGENA junto ao MinC.

Parceria com a Artivista Potyra Tê Tupinambá para executar o projeto “Fortalecendo a Língua e a Cultura Tupinambá”. Patrocínio: Fundo de Cultura da Bahia (FCBA).

“Indigenous Ebooks”, start up de produção de livros digitais artísticos feitos com protagonismo indígena, com versões em portugues, español, inglês, Frances; financiado pelo IFCD – UNESCO. Lançada a start up: DA TERRA PRODUÇÕES LTDA – ME; e  a coleção de ebooks: KWATIARA.

Em 2015: Projeto junto a SPM-BA “RODAS”, lançando uma segunda versão do livro PELAS MULHERES INDÍGENAS.

OCA ABERTA, espaço de serviços para a comunidade Olivença tendo: BALCÃO DE DIREITOS, BIBLIOTECA, CINEFORUM, INCUBADORA DE EMPREDIMENTOS, apoio SECULT-BA.

PREMIO DIREITOS HUMANOS pela promoção a autonomia das mulheres, outorgado pela Secretaria de Direitos Humanos de Presidência da República.

Prêmio REDES – MinC

Prêmio INTERCAMBIO MinC – Atião Pankararu e Sebastián Gerlic convivem 18 dias com indígenas da Argentina.

Em 2016: ADOLESCENTES INDÍGENAS: EXPRESSÃO CIDADÃ cria uma rede de adolescentes que se apropriam das TICS e de seus direitos para protagonizar transformações sociais dentro de suas comunidades. Apoio SDH, Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos.

A Organização dos Estados Ibero Americanos – OEI – convenia a Thydêwá para fazer KWATIARA ABYA YALA, dois novos Ebooks na coleção, desta vez de indígenas da Argentina.

Prêmio BOAS PRÁTICAS DE SALVAGUARDA DO PATRIMONIO IMATERIAL, do IPHAN-MinC

Download (PDF, 6.87MB)

 

5 Comments

  1. paulo gabriel melo
    05/11/2013 at 8:44 pm · Responder

    SOU PESQUISADOR DO CURSO DE PSICOPEDAGOGIA UCDB-MS E FAÇO PESQUISAS NA ETNIA XUKURU DO ORORUBÁ, GOSTARIA DE RECEBER INFORMAÇÕES DE PUBLICAÇÕES E ACONTECIMENTOS SOBRE OS TEMAS ABORDADOS NESTE SITE. OBRIGADO

  2. Huebilú
    03/02/2014 at 6:22 pm · Responder

    Eu amo Thydewá. Huebilú.

  3. Huebilú
    03/02/2014 at 6:25 pm · Responder

    Que decirles que no les haya dicho. A pesar de la distancia, que no es tal, siempre están en mi mente y en mi corazón. Son muy valiosos y me siento orgullosa de que me dejen conocerlos, decirles que los quiero! Toda la energía de estas tierras para uds.: mucha luz, mucha paz!

  4. Edson Godoy
    14/10/2015 at 4:11 pm · Responder

    Que significa exatamente a palavra THYDÊWÁ?

    Grato

    Abraço.

    • sebastian
      14/10/2015 at 4:21 pm · Responder

      Caro:
      Um indígena chamado Jaguriçá entendeu as palavras Wiryjidetzam Thydêwá significaria algo assim como ESPERANÇA DA TERRA… O pai dele era Kariri, a mãe Pankararu… Ninguém dos presentes questionou nada e agradeceu o batismo que vinha para o grupo…. que vinha para o coletivo que tinha uma visão, uma missão…. Ninguém se perguntou de grafia ou de certidão linguística… nossos corações ouviram e gostaram… ano mais tarde quando queríamos amadurecer para legalizar a instituição… resumimos para Thydêwá…. para nós THYDÊWÁ significa ESPERANÇA DA TERRA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *