In Blog

A rede dos Pontos de Cultura Indígena do Nordeste começou o mês de julho com construção e reivindicações. Na aldeia 2 irmãos, em Pataxó de Cumuruxatiba, um forno comunitário foi construído, enquanto as ervas medicinais, importantes para a manutenção da saúde e da cultura indígena, seguiam seu ritmo de crescimento…

Os Pataxó também fecharam a pista pela reivindicações de seus direitos.

E as crianças curtiram um arraiá na aldeia e brincaram livres, como sempre…

Artesanato indígena

Plantio entre gerações: O ancião ensinando a criança a plantar. E a colheita farta: abóbora, feijão e hortaliças sem agrotóxico.

Enquanto isso, em Brasília…

Aconteceu uma reunião entre caciques e poder público. A cacica Maria D’Ajuda marcou presença no FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação).



Agora outra reunião na SESAI buscando uma saúde indígena de qualidade.

Protocolando um documento em Brasília em nome dos Pontos de Cultura Indígena do Nordeste.

Reunião na casa Cívil.

“Jóia amigona, você é uma grande guerreira, parabéns para você e todos que estavam junto com você. Sem luta não chegamos lá”. Palavras de Mayá Hahahãe para Cacique Maria D’Ajuda.

A vida de Cacica não é fácil não…

E na retomada, os Pataxó cuidam de reflorestar.

 

Enquanto isso, em Pataxó Hahahãe, aulas de informática 3x por semana.

Fora do território indígena a colheita continua, sementes de milho crioulo doadas em um encontro dos Pontos de Cultura Indígena renderam esta bela colheita:

Após a matéria veiculada no Globo Repórter, da TV Globo, os indígenas fizeram uma carta de repúdio. A matéria dizia que os Pataxó destroem a mata para fazer artesanato de madeira. Mas esqueceram de falar na matéria que a exploração da madeira é resultado da exploração comercial de grandes empresas e madereiras que atuam na região do Sul da Bahia. Lamentável…

E será que todo o preconceito e desinformação que circula por aí sobre os indígenas não tem início em uma educação colonialista? Desde quando a FUNAI tem poder de classificar indígenas. Essa imagem foi tirada de um livro escolar e postada na rede PCI Transcultural, gerando indignação entre os participantes.

Mais desse mês:

  • Viagens a Brasília reivindicando direitos básicos dos indígenas: educação diferenciada, saúde de qualidade…
  • Cacique da aldeia monte dourado preso
  • Matéria do Globo Repórter denegrindo a imagem dos indígenas Pataxó
  • Ponto de Cultura Indígena Kariri Xocó sendo pintado
  • Ainda faltando antena Kariri Xocó, Pataxó e Tupinambá
  • Thydêwá mudando de “casa” depois de 5 anos no mesmo espaço
  • Ultimo mês de recurso do II ano dos Pontos de Cultura Indígena do Nordeste. Agora é orar para Tupã para sair o pagamento do III Ano
  • E orar também para novos projetos que movimentem nossa rede.

Awêre.

Todas essas informações foram trocadas no grupo do whatsapp PCI rede transcultural, criado com objetivo de ser uma comunidade colaborativa de aprendizagem, reunindo integrantes dos 8 Pontos de Cultura Indígena do Nordeste. Diariamente são postadas notícias sobre o andamento das atividades em cada Ponto, o dia a dia dentro das comunidades, a cultura vivenciada em cada pequeno detalhe do cotidiano das aldeias, histórias dos anciões, o brincar das crianças e a luta indígena pela reivindicação de seus direitos e território.

Recommended Posts

Leave a Comment